|||||| biografia | biography

CLARISSA SACCHELLI  (São Paulo, 1983) é uma artista que trabalha majoritariamente no campo das artes performáticas, movendo-se entre dança, performance e escrita. A relação entre produção, produto e recepção tem sido interesse recorrente na sua trajetória que vem questionando como o modo de produzir uma obra informa diretamente o discurso produzido por ela. Atualmente desenvolve uma pesquisa artística em torno de ideias de reprodução, interrogando se existe possibilidade de produzir sem reproduzir e investigando como o cotidiano social pode ser entendido enquanto um ensaio contínuo que está sempre a produzir herança e arquivo.

Criou os trabalhos: Sem título (2011), Performance (2012), Isso é uma habitação (2013), Isso não é um espetáculo (2013-2014, em parceria com Cláudia Müller), Precisa-se Público (2014, com Cláudia Müller), Índice para escuta (2014, em parceria com Rodrigo Andreolli), Boas Garotas (2017) e A Coreógrafa (2017). Foi contemplada pelo Rumos Dança 2012-2014 (Itaú Cultural) e pelo Novos Coreógrafos – Novas criações: Site-Specific 2013 (Centro Cultural São Paulo). Foi artista comissionada pela Associação Cultural Videobrasil para criar um novo trabalho para 1a Temporada de Dança Videobrasil. Recentemente colaborou como performer em projetos de Eszter Salamon, Tino Sehgal, Cláudia Müller, João dos Santos Martins e William Pope L.

CLARISSA SACCHELLI (São Paulo, 1983) is an artist working mainly in the field of performing arts, moving among dance, performance and writing. She has been interested in the relation between production, product and reception, questioning how the mode of production of an artwork informs the discourse produced by it. She is currently working on ideas of reproduction, interrogating if there are possibilities to produce without reproducing and how everyday practices can be understood as an ongoing rehearsal which is always producing inheritance and archive.

Her works: Sem título (Untitled / 2011), Performance (2012), Isso é uma habitação (This is an habitation / 2013), Isso não é um espetáculo (This is not a spectacle / 2013-2014, in partnership with Cláudia Müller), Precisa-se Público (Public Needed / 2014, with Cláudia Müller), Índice para escuta (Index for listening / 2014, in partnership with Rodrigo Andreolli), Boas Garotas (Good Girls / 2017) e A Coreógrafa (The Choreographer / 2017). She was awarded with a fellowship from Rumos Dança 2012-2014 (Itaú Cultural, BR) and an award grant from Novos Coreógrafos – Novas Criações: Site-Specific 2013 (Centro Cultural São Paulo, BR). She was commissioned by Associação Cultural Videobrasil to produce a new work for the 1st Videobrasil Dance Season. Recently performed in projects of Eszter SalamonTino SehgalClaudia MüllerJoão dos Santos Martins e William Pope L. 

 

BIO

CLARISSA SACCHELLI é mestre em Creative Practice pelo Trinity Laban (Londres, Reino Unido), pós-graduada em Semiótica Psicanalítica pela PUC (SP, Brasil) e graduada em Rádio e TV pela FAAP (SP, Brasil). Nos últimos anos tem colaborado com diferentes artistas e desenvolvido seus próprios projetos que incluem peças coreográficas, performances, instalações e publicações impressas.

Sem título (2011), sua primeira criação, questiona relações de poder entre público e performers. Na sequência criou a peça de dança Performance (2012), interrogando como o corpo do dançarino é resultado de um processo de produção que reproduz performances. Isso é uma habitação (2013) é uma peça coreográfica e uma instalação sonora criada com 12 intérpretes não profissionais e baseada nos encontros entre as histórias pessoais de cada um deles. Isso não é um espetáculo (2013-2014), criado em colaboração com a artista Cláudia Müller, é uma palestra-performance que partiu de uma pesquisa que buscou questionar radicalmente maneiras de produzir, propondo um processo de criação baseado em ideias de fracasso e não produção. Ainda em parceria com Cláudia Müller, também criou Precisa-se Público (2014-2015), uma ação que questiona os papéis do artista, do espectador e do crítico. Em parceria com o artista Rodrigo Andreolli, criou Índice para escuta (2014), uma publicação impressa acerca da produção de dança site- specific. Boas Garotas (2017), trabalho criado a partir do acervo histórico de vídeos da Associação Cultural Videobrasil, investiga as relações entre público e trabalho artístico, explorando o erotismo como modo de questionar e excitar as relações também entre ver e ser visto. A peça A Coreógrafa (2017) fricciona ideias de reprodução e representações da mulher que ao longo da história da dança foram conectadas com narrativas em torno de histórias de casamento e amor.

Seus trabalhos já foram apresentados em diversos festivais, teatros e galerias, como: MIS – Museu da Imagem e do Som (SP); Videobrasil (SP); Centro Cultural São Paulo (SP); Itaú Cultural (SP); Bienal Sesc de Dança (Campinas e Santos); Encontros de Dança – Tucarena (SP); Central Galeria (SP); NAVE (Santiago, Chile); CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve (Faro, Portugal); Neu/Now Festival 2012 (Porto, Portugal); Castlefield Gallery (Manchester, Inglaterra); Smash Lab (Londres, Inglaterra); entre outros.

Foi artista contemplada pelo programa Rumos Dança 2012-2014 (Itaú Cultural, Brasil) e pelo Novos Coreógrafos – Novas criações: Site-Specific 2013 (Centro Cultural São Paulo, Brasil). Recentemente foi a artista comissionada pela Associação Cultural Videobrasil para criar um novo trabalho para 1a Temporada de Dança Videobrasil.

Colaborou como performer em projetos de Eszter Salamon (REPRODUCTION), Tino Sehgal (Kiss), Claudia Müller (Help! I need somebody), João dos Santos Martins (Projeto Continuado 2015) e William Pope L. (Baile).

 

CLARISSA SACCHELLI holds a MA in Creative Practice (Trinity Laban, UK), a postgraduate diploma in Semiotics (PUC, BR) and a bachelor degree in Audiovisual Studies – Radio & TV (FAAP, BR). In the last years she has been working in collaboration with other artists and on her own projects which include pieces for theatres, performances for galleries, installations and publications.

The first work she created is a performance entitled Sem título (Untitled / 2011-2012), which questions power relations between public and performers. She then produced the dance piece Performance (2012) based on how a dancer’s body is the result of a process of production that reproduces performances. Isso é uma habitação (This is an habitation / 2013) is a choreographic piece and a sound installation produced with 12 non-professional performers and based on encounters between their personal stories. Isso não é um espetáculo (This is not a spectacle / 2013-2014), in collaboration with the artist Claudia Müller, is a lecture-performance which came out from a research based on ideias failure and not producing. Yet in collaboration with Claudia Müller, they created Precisa-se Público (Public Needed / 2014-2015), an artistic action which questions the roles of the artist, the public and the critic. In collaboration with the artist Rodrigo Andreolli, Clarissa produced  Índice para escuta (Index for listening / 2014), a publication based on discussions with several artists around site-specific dance productions. Boas Garotas (Good Girls / 2017), a work based on videos from the historical archive of Associação Cultural Videobrasil (BR), investigates the relationships between audience and artwork, exploring eroticism as a means to question and stimulate the relation between seeing and being seen. The piece A Coreógrafa (The Choreographer / 2017) works on ideias of reproduction and representations of women which, throughout the dance history, have been connected to narratives of marriage and love.

Her works have been presented in several venues, galleries and festivals, such as: MIS – Museu da Imagem e do Som (BR); Videobrasil (BR); Centro Cultural São Paulo (BR); Itaú Cultural (BR); SPArte (BR); Encontros de Dança – Tucarena (BR); Central Galeria (BR); Bienal Sesc de Dança (BR); Movimiento Sur (Chile); CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve (PT); Neu/Now Festival 2012 (PT); Castlefield Gallery (UK); Smash Lab (UK), among others.

She was awarded with a fellowship from Rumos Dança 2012-2014 (supported by Itaú Cultural, BR) and an award grant from Novos Coreógrafos – Novas Criações: Site-Specific 2013 (supported by Centro Cultural São Paulo, BR). Recently she was commissioned by Associação Cultural Videobrasil (BR) to produce a new work for the 1st Videobrasil Dance Season.  

Clarissa Sacchelli performed in projects of Eszter Salamon (REPRODUCTION), Tino Sehgal (Kiss), Claudia Müller (Help! I need somebody), João dos Santos Martins (Projeto Continuado 2015) e William Pope L. (Baile).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s